segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Atividade 6 - Fotonovela


Proposta da atividade

Na unidade anterior nós exercitamos a análise crítica das novelas e nos expressamos artisticamente manipulando imagens televisivas. Nesta unidade vamos continuar trabalhando com a linguagem da televisão produzindo uma fotonovela.

A fotonovela foi um tipo de publicação muito comum em décadas passadas quando a teledramartugia ainda não era consumida maciçamente pelos brasileiros. A fotonovela consiste basicamente em uma publicação com fotografias de cenas de uma dramaturgia, com textos que narravam as falas das personagens, bem similar à linguagem das Histórias em Quadrinhos. É uma forma de arte seqüencial que conjuga texto e imagens, com o objetivo de narrar histórias dos mais variados gêneros e estilos. São, em geral, publicadas no formato de revistas, livretos ou de pequenos trechos editados em jornais e revistas. Assim como as telenovelas, algumas fotonovelas são divididas em capítulos que, geralmente, têm um desfecho próprio, para dar a sensação de suspense e curiosidade ao leitor que certamente ficará tentado a comprar a continuação.

Memorial Descritivo da Fotonovela: Caminho do Polo

Nosso grupo - o ArteFato - foi formado por 6 alunos da turma ArV2: André Montanari, Carolina Antonio, Eleni Souza, Monique Gregianin, Suzy Nobre e Zacarias de Almeida. Além disso, contamos com a participação de Vanessa Gregianin e Anderson Stavski, que não são alunos da UnB.

Para contextualizar o nosso trabalho com os temas abordados nessa disciplina, nós decidimos fazer uma paródia da telenovela "Caminho das Índias", e chamamos a nossa fotonovela de "Caminho do Pólo". Aproveitamos essa contextualização e incluímos na história a nossa própria realidade de estudantes do EaD. Ela conta a história de uma menina de família tradicional indiana que deseja fazer um curso superior, mas é desestimulada pela família que entende que o lugar de uma mulher é em casa, cuidando do marido e dos filhos e que, para tanto, ela não precisa de instrução formal, e sim de entender e acatar os costumes de sua cultura. Entretanto, ela consegue burlar essa proibição se matriculando num curso superior a distância, dessa maneira, ela pode cursar uma Universidade sem que a família se dê conta, porque as aulas são ministradas em ambiente virtual. Porém, o irmão mais velho descobre essa manobra e daí acontecem os desdobramentos até o final da trama - feliz, é claro, como convém a uma fotonovela!

A história se passa na região do Itapetiningastão e as personagens são: a família Banananda formada por Lashanty (filha mais nova), Opaxééé (pai - que recebeu esse nome em alusão a uma expressão muito usada em Itapetininga, o "xééé"), Kaipindira (mãe), Ruyn Dadi (avó), Amthapad (irmão mais velho), Rasgaj (irmão do meio), Malárya e Shaturia (cunhadas que são mencionadas, mas não aparecem nas imagens), além do Noivo de Lashanty, e dos tutores do curso que são Indiara (uma homenagem à nossa tutora a distância do bimestre passado, a Andiara) e Sha Pandit.


ELENCO:

Anderson como Rasgaj e noivo de Lashanty

André como Amthapad

Carol como Tutora Indiara

Eleni como Lashanty

Monique como Ruyn Dadi

Shiva como Lord Shiva

Suzy como Opaxééé

Vanessa como Kaipindira

Zacarias como Sha Pandit


Foi muito prazerosa essa atividade, demos muitas risadas durante a produção, pois nos caracterizamos como indianos (estilizados, evidentemente). Pesquisamos as expressões usadas na novela, oriundas do idioma hindi, fotografamos em locações diferentes (em casa, em várias áreas do pólo). A criação dos diálogos foi trabalhosa, mas ficamos muito satisfeitos com os resultados, pois conseguimos aliar o humor às mensagens que queríamos passar no folhetim. Dois integrantes que estão bem familiarizados com o tratamento de imagens no Photoshop (André e Carol) fizeram um ótimo trabalho. Enfim, consideramos que o resultado final dessa atividade foi muito bom!

Você poderá visualizar e/ou fazer o download dessa fotonovela nesse site. Se decidir baixar o arquivo, gravado com a extensão PDF, precisará do Adobe Acrobat Reader instalado em seu computador para abri-lo. Aqui você faz o download gratuito do programa.


Chukriá!

Um comentário:

luiz disse...

salve Eleni,
gostaria de entrar em contato com você.
luizventura30@gmail.com